Informe trimestral do CEO: Kinross divulga resultados do quarto trimestre e do ano de 2016

Divulgamos, no dia 15 de fevereiro, os resultados do T4/anuais de 2016 e as nossas perspectivas para 2017, além de informações atualizadas sobre nossos projetos de crescimento orgânico e atividades de exploração. Alguns destaques:…
read more

  • A segurança continua a ser prioridade: Nossa taxa de frequência total de acidentes registráveis foi de 0,35, o que continua refletindo nosso bom desempenho na categoria. A taxa de gravidade dos acidentes foi, porém, mais alta do que a de anos anteriores. Nada é mais importante que a segurança, que se manterá como nossa prioridade número 1 todos os dias.
     
  • Atingimos nossas metas de produção e custos pelo quinto ano consecutivo: Em linha com nosso compromisso com a excelência operacional, atingimos nossas metas operacionais do ano, com produção de 2,79 milhões de onças, custo total por onça produzida (AISC) de US$ 984 e custo de produção das vendas de US$ 712 por onça.
     
  • Nosso histórico financeiro continua sólido: Mantivemos a solidez de nosso balanço patrimonial, com liquidez de aproximadamente US$ 2,3 bilhões e nenhuma dívida a vencer até 2020. Geramos fluxo de caixa operacional de US$ 1,1 bilhão no ano, com aumento de 32% em relação ao exercício anterior, e nosso lucro líquido ajustado cresceu mais de US$ 180 milhões. Embora tenhamos nos beneficiado da elevação do preço do ouro, nosso forte desempenho operacional e financeiro em 2016 também refletiu nossa cultura de melhoria contínua, a valorização da qualidade em detrimento da quantidade e a gestão rigorosa dos custos.
     
  • Um próximo ano empolgante para nossos projetos de crescimento orgânico: Esperamos atingir alguns marcos importantes na medida em que avançamos no desenvolvimento de projetos nas três regiões nas quais atuamos:
    • Tasiast: A Fase 1 de expansão está evoluindo muito bem e dentro do prazo e do orçamento, com previsão de alcançar produção comercial no T2 de 2018. Um estudo de viabilidade da Fase 2 do plano de expansão deve ser concluído no T3 de 2017, quando devemos tomar uma decisão sobre o desenvolvimento.
    • Bald Mountain: Dobramos as reservas minerais, com possível extensão de vida da mina, e confirmamos nossa visão da mina como um ativo de longo prazo, com significativo potencial positivo.
    • Round Mountain: O estudo de viabilidade da Fase W deve ser completado no T3 de 2017, após acréscimos e atualizações dos recursos minerais em 2016.
    • Rússia: Os projetos na Rússia estão em estágios avançados. Em September Northeast, perto de Dvoinoye, já iniciamos operações de decapeamento. Em Moroshka, nas imediações de Kupol, devemos iniciar as atividades de mineração no primeiro semestre de 2018.
       
  • Novo foco para a exploração: Estamos intensificando nosso foco de modo a abranger extensões de zonas conhecidas e a mineralização de minas já ativas, particularmente Kupol e Fort Knox. Em Kupol, o depósito está aberto em certas zonas; em Fort Knox, as atividades de perfuração estão voltadas para várias oportunidades de aumento de recursos. Esses projetos, ao lado dos de Bald Mountain, Tasiast e Kettle River-Buckhorn, serão as nossas maiores prioridades em exploração em 2017.

 

  • Perspectivas positivas para 2017: Prevemos para 2017 mais um ano de produção sólida e acreditamos que os custos se manterão em níveis similares aos de 2016. Estimamos produção de 2,5–2,7 milhões de onças a um custo total por onça produzida de US$ 925–1.025, custo de produção das vendas de US$ 660–720 por onça e despesas de capital totais de aproximadamente US$ 900 milhões (+/- 5%). As despesas de capital serão usadas para o avanço de projetos de desenvolvimento, incluindo o de Tasiast, e reinvestimento no negócio.

O ano de 2016 foi bom para a empresa. Obrigado por ajudar a atingir nossas metas.

Começamos 2017 muito bem, e conto com a contribuição de todos vocês para dar continuidade a esse impulso positivo ao longo do ano.

Paul

J. Paul Rollinson
Presidente e CEO
Kinross Gold Corporation