Melhor história de mineração: uma reflexão sobre a rica história de 20 anos de Fort Knox

Jim Oleson, Superintendente de Processamento de Minério, Fort Knox, e ganhador do prêmio LOVA de 2014 na categoria Rigorosa disciplina financeira, trabalha em Fort Knox há 20 anos e fez parte da formação inicial da equipe da mina. Pedimos a Jim para compartilhar uma “Melhor história de mineração” para celebrar o 20º aniversário de Fort Knox.

 “Vou contar uma entre muitas outras histórias desses 20 anos de produção de ouro em Fort Knox. E qual seria ela?

Bem, a história trata de mineradores com visão de futuro que entenderam – e enfrentaram – os desafios de colocar em produção uma mina de ouro de baixo grau. Ela também aborda o início da operação dos maiores moinhos de ouro da América do Norte, projetados para o processamento de 36 mil toneladas por dia. Esses líderes merecem o nosso aplauso, mas tenho certeza de que cada um deles daria o crédito a todos os funcionários que trabalharam arduamente para atingir essas metas.

A história também envolve números – e eles são impressionantes. Somamos 20 anos de atividade de mineração e 7 milhões de onças de ouro extraídas, quando o plano original previa 4 milhões de onças e 12 anos de mineração. Tudo isso foi conquistado fazendo da segurança de cada funcionário a primeira e principal prioridade da empresa. Isso foi demonstrado por diversos marcos de segurança, como anos consecutivos de trabalho, com milhões de horas-homem, sem nenhum acidente com interrupção do trabalho. A história também diz respeito à proteção do meio ambiente e ao compromisso de recuperar o terreno de modo a fazer jus à magnificência do Alasca.

Ela também trata do futuro de Fort Knox e da mineração no Alasca. Em 2007, a liderança da empresa teve a visão de começar a fazer lixiviação de minério sob as temperaturas abaixo de zero do Ártico. A produção de quase 1/4 de milhão de onças de ouro comprova o sucesso da iniciativa. E esse sucesso estendeu a vida da mina, mantendo o emprego de muitas pessoas e, assim, contribuindo para a economia e o bem-estar social de Fairbanks.

E, embora a minha parte nela muito provavelmente vá se encerrar em breve, a história continuará. A história de cada um de vocês na mineração, lastreada em segurança no trabalho, será tão gratificante quanto a que acabo de contar e tem muito futuro pela frente.”

Jim Olesen, Superintendente de Processamento de Minério, Fort Knox