Isso é o que acontece quando uma barragem de rejeitos falha (vídeo)

Em 4 de agosto de 2014, a barragem de rejeitos em Mount Polley, uma mina de cobre e ouro na Colúmbia Britânica, Canadá, falhou. Dezessete milhões (17.000.000) de metros cúbicos de água e oito milhões (8.000.000) de metros cúbicos de rejeitos foram liberados, criando dois lagos nas proximidades. Foi a maior falha de barragem de rejeitos do Canadá e um importante alerta para o setor de mineração.

A ruptura foi capturada em uma câmera aérea – assista ao vivo aqui: http://www.mining.com/amazing-aerial-video-of-mount-polley-tailings-breach-76060/

Relatórios recentes descobriram que o impacto ambiental da falha da barragem em Mount Polley provavelmente será menor do que o originalmente previsto, sem impacto significativo ao ciclo da pesca de salmão. Contudo, o impacto foi bastante significativo para a economia e as comunidades locais.

A Kinross segue as normas de barragem do setor há muitos anos, porém a ruptura em Mount Polley é uma lembrança dramática de que devemos estar sempre atentos e buscar formas de elevar o nível de gestão dos rejeitos. É por isso que estamos revisando nossas normas de barragens e gestão de água com a meta de aprimorá-las atem todas as unidades em 2015.

Em nenhum outro lugar isso é mais importante do que em Paracatu, onde é possível encontrar os maiores lagos e barragens de rejeitos da Kinross.

Todos os anos a Kinross Paracatu promove um workshop sobre barragens que reune líderes ambientais e de construção para discutir segurança nas operações dessas barragens, monitoramento ambiental, sistemas de bombeamento de rejeitos, requisitos legais, qualidade da água,  planos de ação de emergência e muito mais. O evento deste ano ocorreu entre os dias 13 a 18 de novembro.

Dean Williams (vice-presidente de assuntos ambientais) disse à Kinross World sobre a importância fundamental da segurança e do monitoramento de uma barragem.

“Poucas pessoas sabem que no mundo todo as falhas de barragens de rejeitos ocorrem com muita frequência – e têm um impacto muito maior – do que as falhas de barragens de água. Se uma barragem de rejeitos falhar, isso pode ser catastrófico para as comunidades ao redor, o meio ambiente e as empresas envolvidas.Reconhecendo isso, aqui na Kinross estabelecemos padrões muito altos para o projeto, a construção, a operação, o monitoramento e o fechamento de barragens.Além de exigir que cada instalação seja revisada anualmente pelo engenheiro de projeto de registro, também temos um engenheiro geotécnico externo que executa sua própria revisão periódica.Nossos workshops de barragem – como este que ocorreu em Paracatu em novembro – servem para reforçar os altos padrões que temos para o projeto, a construção e as operações de barragens de rejeitos, a importância do monitoramento e por fim os requisitos para fechamento”.

Workshops e revisões de barragens ocorrem regularmente em todas as minas da Kinross que possuem uma barragem de drejeitos. Para saber mais, contate Dean Williams ou John Mudge (diretor de assuntos ambientais).

Fotos tiradas durante o workshop de barragem de rejeitos em novembro, Paracatu:

 

 

Destaque de sustentabilidade: Apoio à saúde mental dos funcionários
Novembro 16, 2020

Destaque de sustentabilidade: Apoio à saúde mental dos funcionários

Destaque de sustentabilidade: veja como a Kinross está maximizando sua estratégia de eficiência energética
Outubro 5, 2020

Destaque de sustentabilidade: veja como a Kinross está maximizando sua estratégia de eficiência energética

Kinross Chirano financia laboratório de ciências para a primeira escola só para mulheres da região
Outubro 5, 2020

Kinross Chirano financia laboratório de ciências para a primeira escola só para mulheres da região